DEFENDA SEUS DIREITOS

Loading...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

SEGURANÇA PUBLICA : Policiais do Rio ameaçam entrar em greve por melhores salarios às vésperas da Copa do Mundo

É PRECISO VALORIZAR E REMUNERAR CONDIGNAMENTE OS POLICIAIS CIVIS, MILITARES, FEDERAIS,  RESPONSÁVEIS PELA SEGURANÇA PUBLICA !

É CRIME USURPAR FUNÇÃO DA POLICIA MILITAR - ASSOCIAÇÃO (FALSO CONDOMÍNIO) NÃO PODE FAZER SEGURANÇA PUBLICA

É um absurdo que os policiais ganhem tão pouco, enquanto os  falsos condomínios faturam milhões , livres de impostos, vendendo serviços ILEGAIS de "segurança privada" em ruas publicas ! 
Todas as pessoas que financiam os falsos condominios, estão agindo CONTRA os orgãos de segurança publica !
Se todo o dinheiro EXTORQUIDO dos MORADORES pelos falsos condominios , a pretexto de vender segurança, fosse DOADO para o FUNDO NACIONAL de SEGURANÇA PUBLICA, o Brasil TERIA A MELHOR E MAIS BEM EQUIPADA POLICIA E FORÇAS ARMADAS DO MUNDO !

É CRIME USURPAR FUNÇÃO DA POLICIA MILITAR - ASSOCIAÇÃO (FALSO CONDOMÍNIO) NÃO PODE FAZER SEGURANÇA PUBLICA

 http://vitimasfalsoscondominios.blogspot.com.br/2014/05/blog-responde-e-crime-usurpar-funcao-da.html
Policiais do Rio ameaçam entrar em greve às vésperas da Copa do Mundo

Polícia Civil quer incorporação de gratificação de 850 reais ao salário. Pezão tem até o dia 15 para enviar projeto à Alerj. PM também inicia reivindicação

Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro
Outdoor fixado em frente ao prédio chefia de Polícia, no Centro do Rio, anuncia a possibilidade de greve
Outdoor fixado em frente ao prédio da chefia de Polícia, no Centro do Rio, anuncia a possibilidade de greve (Pâmela Oliveira/Veja.com)
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tem duas semanas para conter mais uma crise na Polícia Civil. Os agentes, que reclamam do abismo salarial entre os policiais e delegados, exigem a incorporação ao salário de uma gratificação de 850 reais e ameaçam entrar em greve caso não tenham a reivindicação atendida – o valor integra o programa Delegacia Legal, de modernização das delegacias. Na terça-feira, a categoria estabeleceu um prazo: se Pezão não apresentar o projeto de incorporação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) até o dia 15, os agentes farão uma assembleia para votar a possibilidade de greve.
Atualmente, perdem a gratificação policiais grávidas, baleados em dias de folga, aqueles que estão de licença ou férias e os aposentados. “Uma policial que engravida perde a gratificação e precisa recorrer à Justiça para não ter o salário diminuído. Isso é cruel”, disse o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol), Francisco Chao.
O governo está pressionado por outra categoria: policiais militares articulam, caso a Polícia Civil obtenha a incorporação, um movimento de greve para também cobrar aumento salarial.
A julgar pela opinião dos cerca de mil policiais que participaram da assembleia realizada na terça-feira, no Clube Municipal, na Tijuca, sem a incorporação da gratificação o risco de paralização é elevado. Uma greve a poucos dias da Copa do Mundo – quando são previstas manifestações e confrontos nas ruas – é uma ameaça capaz de comprometer o governo de Luiz Fernando Pezão, pré-candidato ao governo do Rio.
“A categoria está muito ressabiada. Em dezembro, o governador Sérgio Cabral se comprometeu a incorporar a gratificação Delegacia Legal durante reunião com o sindicato, no Palácio Guanabara. Pezão, assim que assumiu o governo, afirmou que atenderia a reivindicação e nos pediu que esperássemos até o dia 15 de maio. A demora está sendo nociva porque está minando a confiança da categoria”, afirmou Chao ao site de VEJA.
Outro sindicato que representa os policiais fixou outdoors com a ameaça de greve dos agentes. No texto, o Sindicato dos Policiais Civis do Rio de Janeiro (Sinpol) afirma: "Pezão, a bola é sua! Atenda a categoria e evite greve na Copa". 
De acordo com o Sindpol, o salário inicial bruto de um agente é de cerca de 4.500 reais, incluindo a gratificação Delegacia Legal. Com os descontos, o valor líquido cai para 3.500 mil. O ganho de um delegado no início da carreira, segundo planilha do Sindpol, é de 15.000 reais.
“O salário de um agente da polícia civil do Rio não é condizente com a qualificação que é exigida no concurso e com a responsabilidade de um inspetor. O concurso exige terceiro grau, mas a remuneração é uma das mais baixas do país”, afirma Chao.
Delegados – A reivindicação de incorporação da gratificação tem o apoio dos delegados. Em 28 de abril, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro entregou uma Moção de Apoio assinado por 365 delegados no Palácio Guanabara.
No texto, os delegados narram as dificuldades enfrentadas pelos agentes e afirmam que a remuneração insuficiente causa estresse e necessidade de busca de complementos de renda que causam "cansaço exacerbado capaz de prejudicar os reflexos e raciocínio". No documento, os delegados afirmam ainda que fazem "coro com as manifestações" dos agentes e dizem que a causa salariam dos policiais deve ser prioritária na instituição. 

Nenhum comentário: