DEFENDA SEUS DIREITOS

Loading...

quarta-feira, 11 de julho de 2012

VINDE ESPIRITO SANTO ! POMBA BRANCA ACOMPANHA D. EUGENIO SALES ATE O SEPULCRO

FOI UMA HOMENAGEM E MENSAGEM DE PAZ PARA O BRASIL 


FOI UM SINAL DE DEUS ... O voluntário da Cruz Vermelha Gilberto de Almeida, de 59 anos, saiu de casa na manhã desta terça-feira com uma missão: representar o presidente da entidade, que estava viajando, no velório de dom Eugenio Sales. 

No meio do caminho, ao ver uma criança mostrar para a mãe algumas aves em um abatedouro da Rua Doutor Bulhões, no Engenho de Dentro, teve a ideia de comprar uma pomba para homenagear o cardeal.
— A pomba branca representa a paz. Achei que seria uma maneira simbólica de soltá-la durante a cerimônia e agradecer tudo o que ele fez pela Cruz Vermelha. Ele sempre ajudou as nossas campanhas.
A ave, que custou R$ 25 e era para ser apenas uma singela homenagem, virou um fato curioso, que chamou a atenção dos fieis e de toda a imprensa: a pomba, ao ser solta, voou e pousou sobre o caixão. E ali ficou por mais de uma hora, provocando muitos comentários dos fieis como “É a presença do Espírito Santo”.
— Não dá para explicar. Foi uma coisa impressionante. Minhas pernas começaram a tremer. Quando já estávamos dentro da igreja, eu perguntei se queriam que eu a tirasse de lá e um diácono disse "Deixa aí. Isso é um sinal de Deus". E foi mesmo. 

— Ele defendeu os direitos humanos. A cada época, ele viveu o seu tempo, buscou soluções para a ditadura e para as questões sociais. Foi um dos brasileiros com mais influência no governo central da igreja. DOM ORANI - Arcebispo do RIO


Líderes de várias religiões participaram da última missa de corpo presente




Uma pomba branca troca a liberdade pelo pouso no caixão de D. Eugenio Sales, na Catedral Metropolitana do RIO - ela permaneceu com ele em todo o trajeto, e só o deixou as 18 horas - HORA DO ANGELUS ( AVE MARIA ) 



Cardeal, que comandou arquidiocese por 30 anos, morreu de infarto enquanto dormia, aos 91
Pomba branca, símbolo do Espírito Santo para a igreja, pousou no caixão e ficou durante toda a tarde perto do corpo


DO RIO
A cena surpreendeu aqueles que acompanhavam a chegada do corpo do cardeal arcebispo emérito do Rio, dom Eugenio Sales, ontem ao meio-dia à Catedral Metropolitana do Rio.

Uma pomba branca, solta por um voluntário da Cruz Vermelha, pousou sobre o caixão, depois desceu e ficou durante toda a tarde aos pés do corpo, enquanto cerca de 6.000 fiéis se despediam do religioso. Para os católicos, a pomba branca é o símbolo do Espírito Santo.

Um dos mais influentes cardeais do Vaticano, dom Eugenio comandou a Arquidiocese do Rio ao longo de 30 anos (1971-2001).
No período, criou pastorais -grupos compostos por religiosos e leigos para atuar em áreas como atendimento a menores, entre outros-, idealizou a Campanha da Fraternidade e ajudou perseguidos políticos a sair do país, apesar de manter boas relações com o regime militar.( folha de São Paulo ) 


O corpo do arcebispo emérito do Rio de Janeiro, dom Eugenio Sales, morto na noite de segunda-feira, foi enterrado em uma cripta na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, no Centro da cidade, nesta quarta-feira. Antes de ser levado para o local, o caixão seguiu em uma rápida procissão no entorno do santuário. Apesar do encerramento das missas em homenagem ao cardeal, os fiéis permanecem no local e rezam perto da cripta.


O velório de dom Eugenio começou na tarde desta terça-feira, com missas de duas em duas horas, e seguiu por toda a madrugada e manhã desta quarta-feira. 


A última missa de corpo presente, celebrada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, contou com a presença de representantes das religiões ortodoxa, anglicana, judia, muçulmana, luterana e do candomblé. Todos ficaram sentados na primeira fileira, ao lado do altar onde estava o corpo do cardeal. 


O babalaô Ivanir dos Santos destacou que o convite da Arquidiocese do Rio para estar presente na cerimônia do enterro representa um novo tempo de respeito entre as religiões.

O velório de dom Eugenio começou na tarde desta terça-feira. O cortejo partiu do Cemitério de Inhaúma, onde o corpo foi embalsamado, passou pela Candelária e chegou à catedral por volta de meio-dia. 
Ao passar pelo tapete vermelho, o corpo do cardeal foi recebido com aplausos, acompanhados do Hino Nacional, tocado pela banda da Polícia Militar. 
Uma pomba branca foi solta por um integrante da Cruz Vermelha, em homenagem ao cardeal, e pousou sobre o caixão. A ave permaneceu no santuário até as 18h.
Em nota, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lamentou a morte de dom Eugenio. O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, voltou a enfatizar dois aspectos que marcaram muito o trabalho social do arcebispo emérito: o apoio às comunidades carentes e aos refugiados políticos.
— Ele defendeu os direitos humanos. A cada época, ele viveu o seu tempo, buscou soluções para a ditadura e para as questões sociais. Foi um dos brasileiros com mais influência no governo central da igreja.
Em uma das missas celebradas na catedral, o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio dom Antônio Augusto Dias Duarte ressaltou a importância de dom Eugênio não só como um personagem fundamental da Igreja, um governante, mas como um ser humano que viveu toda a sua vida pensando em servir ao próximo:
— Ele foi fiel aos seus talentos, ao que Deus lhe deu. Entendeu que seus dons eram para ser usados para servir aos seus irmãos.

Nenhum comentário: