DEFENDA SEUS DIREITOS

Loading...

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

CHUVA MATA MUITO MAIS DE 720 NA REGIÂO SERRANA DO RIO

Chuva na região serrana do RJ mata mais de 720; há mais de 200 desaparecidos

PUBLICIDADE
DE SÃO PAULO
DA AGÊNCIA BRASIL
A Defesa Civil informou nesta quarta-feira que subiu para 727 o total de pessoas mortas na região serrana do Rio em decorrência das chuvas que atingem a área desde a semana passada. As cidades que tiveram óbitos são Nova Friburgo (345), Teresópolis (298), Petrópolis (63) e Sumidouro (21). Segundo levantamento do Ministério Público, são mais de 200 desaparecidos.
As informações dadas ao PIV (Programa de Identificação de Vítimas) por parentes e amigos são checadas com dados de hospitais e do IML (Instituto Médico Legal). A lista é frequentemente atualizada e pode ser consultada no site do Ministério Público. Quem quem quiser registrar desaparecimento de algum parente ou conhecido pode ligar para o número 0/xx/21/2283-6466, das 8h às 18h.
O número de desalojados (temporariamente em casa de amigos ou parentes) e desabrigados (aqueles que perderam suas casas e dependem de abrigos públicos) permanece impreciso. A Defesa Civil estadual soma mais de 10 mil. Mas segundo dados das prefeituras são mais de 20 mil.
O "Diário Oficial da União" publicou nesta quarta-feira as portarias de reconhecimento do estado de calamidade pública nos municípios de Nova Friburgo e Petrópolis. Somente por meio da portaria de reconhecimento, a cidade e a população afetada podem fazer uso de benefícios como a dispensa de licitação para a contratação de obras emergenciais e o saque do FGTS.
PREJUÍZO
Devastadas, as cidades da região serrana também sofreram o esvaziamento de uma de suas principais atividades econômicas, o turismo: 95% das reservas até o fim de janeiro foram canceladas e 80% até o final do verão.
O setor contabiliza perdas de R$ 50,4 milhões só em faturamento dos hotéis e estima que a região só se recuperará completamente para receber turistas na temporada de inverno, no meio do ano.
O pior prognóstico é para o centro de Nova Friburgo. A maior atração, o teleférico, foi danificada, e hotéis tiveram desabamentos ou estão com o acesso comprometido.
Os prejuízos, porém, não se restringem ao turismo. A Firjan, a federação das indústrias do Estado, calcula perdas de R$ 153,4 milhões na produção, em matéria-prima e produtos estocados.
Segundo a entidade, 62% das indústrias sofreram com falta de energia, alagamentos, problemas de acesso, escoamento da produção e falta de funcionários.
Caio Guatelli/Folhapress
Homem sobre laje da casa da qual resgatou 11 pessoas vivas durante os deslizamentos que atingiram Nova Friburgo
Homem sobre laje da casa da qual resgatou 11 pessoas vivas durante os deslizamentos que atingiram Nova Friburgo

Nenhum comentário: